Blog do Betusko

LITERATURA, CONTOS, POEMAS E AFINS

Archive for setembro, 2011

Voo cego, um parágrafo interminável

          Na decolagem, os pés já estavam dormentes, as asas se debatiam num feroz farfalhar, não fosse assim,  a alma não se desprenderia, nem o deleite em ver  as casinhas caiadas, pequeninas pérolas incrustadas ao longo da beira mar, ou o pressentir do balé dos querubins no corredor tomado por ansiedades, valeria a peleja por [...]

Read the rest of this entry »

Sábados com submarinos

Um submarino amarelo na capa do velho LP em meio a farelo de milho e nódoas de chocolate contornadas a caneta hidrocor. são memórias que flutuam, flocos de algodão ao vento, flâmulas de um quarteto inesquecível botons aplicados no pinguim da geladeira branco e preto, verde e amarelo plantas aquáticas dançando ao som de sargento [...]

Read the rest of this entry »

Saudade em Tom maior

Hoje acordei macambúzio, com saudades de Vinícius Tom Jobim, do mar de búzios sentindo falta do chope gelado do barquinho, do violão da seresta á capela do encontro marcado aos sábados na sala do poeta de riso largo e franco das madrugadas no beco das garrafas com seus porres memoráveis ao som da trilha sonora [...]

Read the rest of this entry »

Rastros da noite

Caminhar sobre vozes pegajosas tropeçar em horas lentas esmorecer na sombra da preguiça até soltar um sonífero bocejo ante a crua espera da luz da lua e aplacar o longo desejo de ver trincar o céu em milhões de estrelas exuberantes, singelas que descem em delírio como regidas pelo vento e lavam as cabeças, escorrem [...]

Read the rest of this entry »

Prá frente, Brasil!

      O céu  estava  forrado por  centenas de balões naquela tarde de domingo. A folhinha do Sagrado Coração de Jesus, pendurada na parede da cozinha marcava 21/06/1970. Estávamos todos gritando vivas e pulando feito  touro em rodeio, com as veias jugulares  quase explodindo no pescoço de tanta  euforia. Em cada esquina, o som que se [...]

Read the rest of this entry »

Das flores

Sementes de orquídeas violetas caídas em solo fértil trazidas em cápsulas vivas no bico de um João-de-barro, perseverante e mítica criatura, provocam o milagre da germinação e fazem brotar sonhos em botânicos e sagrados jardineiros na busca da reinvenção do mundo a transformar-se, sob o cotidiano febril, em um imenso viveiro de plantas, quem sabe, [...]

Read the rest of this entry »

Carpe diem

lagartos largados espreitam teu caminhar canários canoros tuitam teu nome ninguém duvida da raridade do momento nem a claridade da tardinha mortiça que nos convida a acompanhar teu argumento como atentos seguidores de uma pitonisa sob a sombra de um coqueiro gigante: “não sou água nem sou sal, somente sou semente viva!” prosaicas palavras lançadas [...]

Read the rest of this entry »

Bodas de sangue

vestida de noiva trajada de angústia o corpo calava o rosto fingia um falso sorriso do branco tecido luzia enquanto a dor da mentira fincava agulhas na alma debalde cerzia os pedaços de um coração aflito paralisado de medo diante da branca capela por onde adentrou pesarosa rumo ao altar decorado com seus passos soturnos [...]

Read the rest of this entry »

Amor urgente

Hoje eu quero um amor daqueles de cinema, quero o vapor dos seus poros lavando minha alma vadia quero seus sonhos sacanas volatizando meus sentidos, hoje eu quero você com todo seu kit completo dengo, chamego e desejo quero um amor desesperado em fúria madrugada adentro e quando a lua faceira desligar seu holofote sobrará [...]

Read the rest of this entry »

Amanheceu em meu coração

Solstício de inverno em minha alma. Os raios de sol derramam esperança e expectativa com o novo dia. Samambaias florescem em xaxins secos enquanto busco cruzar a tênue névoa que separa o sonho da realidade. Os sons dos gravetos partidos sob meus pés me remetem a um mundo de alegorias plenas. São querubins, colombinas, gondoleiros [...]

Read the rest of this entry »
buy email lists