Blog do Betusko

LITERATURA, CONTOS, POEMAS E AFINS

Baquelite queimado – Micro conto

Written By: Roberto - set• 12•11

                                              CHEIRO DE BAQUELITE QUEIMADO

Assim que o galo cantava pela primeira vez, seu Jaime se levantava. Botava água na chaleira para passar o café. Acendia o rádio de válvulas e sintonizava no programa de moda de viola. Só então, limpava as gaiolas e tratava de seus canários. Reinava esta rotina há mais de vinte anos. Até que certa manhã de inverno, igual a tantas outras, a vida do velho sertanejo enveredou-se num rumo sem volta. Naquelas paragens agrestes, a noite caiu suave e gélida. Seu Jaime permaneceu o dia todo estancado embaixo do batente da porta de entrada de seu casebre; os olhos fixos no horizonte. Sob os pios do coro dos pássaros agitados que se misturavam à abertura solene de  o Guarani – na Voz do Brasil-, a lua cheia mirava um homem mergulhado no outono de sua vida, refém de um surto de Alzheimer. Enquanto isso, a fumaça emanada pelo cabo da panela queimado empestava o ar e defumava aquele cenário inesquecível.

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

One Comment

  1. Lucia disse:

    Adorei, rico em detalhes, me lembrou Cem anos de solidão, ( o declínio inexoravel da vida humana)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

buy email lists