Blog do Betusko

LITERATURA, CONTOS, POEMAS E AFINS

Êta, vida besta!

Written By: Roberto - set• 04•11

Há dias em que acordamos e pulamos da cama como um Curupira; com os pés virados ao contrário e uma vontade danada de dar bordoadas nos invasores da nossa floresta.

E saímos assim, cambaleando em busca de um café puro e fumegante. Giletes velhas e sem fio rompem-nos a velha cara de pau matinal e deixam um trocinho de esparadrapo no queixo choroso. A resistência do chuveiro não oferece nenhuma resistência aos pingos gelados d água que nos fustigam os neurônios teimosos em não se abrir para o dia. O maço de cigarros cospe apenas um vento vazio de intenções. Na passagem pela portaria, o Zé nos entrega um envelope do SPC com carimbinho: Urgente. Na garagem o motor de partida do velho Gol não parte para lugar nenhum, somente resmunga um nhem-nhem-nhem tradicional  e depois se cala para todo o sempre. Pilares estreitos e uma moto na frente impedem a tentativa de dar um tranco no bicho preguiçoso. O jeito é correr para o ponto do busão. Compromisso na primeira hora da manhã é foda e não perdoa.

No coletivo coletamos todas as sensações possíveis: mulher tossindo gotículas de Gripe Suina, malandro querendo correr os dedos na bolsa da loura,  jovem gordo imprensado no banco lateral, cobrador cobrando respeito e um passinho á frente. Para ajudar, o coletivo tem sua correia dentada repentinamente desdentada e, á pé, partimos todos nós passageiros de uma nau perdida, em meio à avenida de trânsito caótico.

O elevador da empresa resolve fazer greve no quarto andar e, com mais seis pessoas em pânico, quinze minutos parecem uma eternidade.

Uma hora de atraso, chefe com cara de bosta, cliente “ fumando numa quenga”  e o Curupira aqui, todo troncho sem conseguir abrir o notebook com o projeto da campanha.

A gota d água  foi a espinha de bacalhau do bandejão do meio-dia. O grito  foi  ouvido

em todos os corredores da praça de alimentação: _ Puta que le o pariu!

Como não há mal que sempre dure, a noitinha nos encontra no quarto do hospital, rodeado por amigos e parentes  solícitos e cordiais demonstrando o carinho imprescindível; até o chefe com uma revista Playboy  com capa de uma BBB qualquer para nos entreter.

 _ Foi uma crise de stress, só isto… Falou o  médico residente plantonista.

Dia seguinte, começa tudo outra vez. Êta, vida besta!

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

buy email lists