Blog do Betusko

LITERATURA, CONTOS, POEMAS E AFINS

Rir também é bom

Written By: Roberto - set• 03•11

 

Bolsa de mulher ( Paródia)_

(Paródia da musica O que é que a baiana tem?)

O que é que a bolsa da mulher tem?
Tem celular prateado, tem
Chave de casa, tem
Também a do carro, tem
Tem Ipod colorido, tem
Batom bem vermelho, tem
Isqueiro dourado, tem
Carteira abonada, tem
Tem kit de maquiagem, tem
Cartela de aspirina, tem
Também de anticoncepcional, tem
Prendedor de cabelo, tem
e lenço de seda, tem
i-token de banco, tem
e fone de ouvido, tem
absorvente escondido, tem
cigarro amassado, tem

camisinha  Jontex, tem
cartão da cabeleireira, tem
tem lenço de papel, tem
e lixa de unha, tem
chiclete Trident, tem
e sonho de valsa, tem
tem lápis de olho, tem
tem  pen drive enroladinho, tem
crachá do trabalho, tem
colírio suave, tem
esmalte importado, tem
talão de cheque, tem
porta lente de contato, tem
óculos escuros, tem
tem brinco de ouro, tem
pulseira do Bonfim, tem
tesoura pequena, tem
agulha e botão, tem
como tudo se encaixa tão bem,
o que é que a bolsa da mulher tem?

    Poeminha do edonista

  Curta a vida

a vida é curta

curta, curta,curta,

mas com moderação,

se você exagerar,

o médico deverá ser procurado,

ou mesmo o padre

para  lhe conceder a extrema unção.

                                                                                  UMA NO CRAVO, OUTRA NA ROSA

“O cravo brigou com a rosa,
debaixo de uma sacada
o cravo saiu ferido,
e a rosa despedaçada”

A rosa foi à Delegacia da Mulher dar queixa
Fez exame de corpo de delito
Mas depois se arrependeu
O cravo está foragido
Foi visto se escondendo numa plantação de milho
Mas já se encontra cercado na fazenda
Até o Datena já está no ar com a notícia
E o motivo de todo este triste espetáculo
Foi apenas uma trepadeira que
se enganchou no cravo em busca de apoio…
Ah, vida cruel!

 

 

 

Ela me deixou sem ação

boca seca
vista turva
mãos trêmulas
coração descompassado
falta de ar

de repente ela chega
toda faceira
meiga e traiçoeira

como é o nome dela?
Diabetes…

Lágrimas e segredos

Não há um coração,
por mais duro que seja
que não chore
ao ouvir segredos de cebola cortada

 

 

         Mistérios

Cavalos marinhos galopam

estrelas do mar luzem
criados-mudos gritam assustados
cesta básica vira sábado.

Putz! A garrafa de uísque secou!!!

 

 

E agora, doutor?

Ultrasonografaram meu coração,
Seu nome apareceu tatuado
Em letra Arial 32
E agora, doutor, como tiro isto daí?
Ah, tem  jeito não, só o tempo é quem pode…

 

Trocadilho infame

Confesso que sou um fingidor!
finjo tão displicentemente
que chego a fingir que é amor
o amor que deveras sinto
só para não dar ousadia

Mas veja bem, não minto,
nem sou má Pessoa,
apenas finjo, numa boa…

Não é bem assim

Água mole em pedra dura tanto bate até que a fonte seca . Então a pedra se desintegra, desidratada de saudade da amiga carinhosa que deixou de fazer-lhe cafuné.

Fumaças à parte

A fumaça do café enlaçando a do cigarro:
_ Bom te ver, amiga!
_ Pois é, está cada vez mais difícil nos encontrar-mos

_ Na mesma sala, então, nem pensar…

Pum, pum, pum na careca do vovô.

Enquanto isto, num barraco de um morro qualquer, Zé Pequeno canta um Rap embaixo do chuveiro:
” Havia uma barata na careca do vovô, assim que ela me viu, dei três
tiros e ela voou. dó, ré, mi, fá, fá, fá…”
(Ops, coitadinho do vovô!)

You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

buy email lists